A Bio & Green é uma empresa voltada à fabricação de produtos espumados biodegradáveis* e compostáveis*.

Fabricamos VASOS e TUBETES para plantio e germinação de sementes e BANDEJAS utilizadas no acondicionamento de alimentos, todos feitos de matérias-primas de fontes renováveis, tais como: bagaço da cana de açúcar, fibras de coco, de curauá, sisal, juta, cascas de café e de arroz.

De acordo com a norma ASTM D6400, BIODEGRADÁVEL é todo material cujo conteúdo orgânico se transforma em húmus, água e gás carbônico em até no máximo 180 dias. COMPOSTÁVEL é todo material que se biodegradou e gerou húmus com ausência de metais pesados e substâncias nocivas ao meio ambiente.

A atividade industrial e dos centros urbanos frequentemente gera resíduos nocivos ao meio ambiente. Lançados na natureza, eles poluem e prejudicam a vida em certos ecossistemas, além de colocar em risco a saúde humana. Poucos sabem que geram mais de um quilo de resíduo no simples ato de beber um copo com 250 ml de água de coco verde.

No verão, com o aumento do consumo, as cascas do fruto podem representar 80% do lixo coletado nas grandes cidades. No Rio de Janeiro, estimativas indicam 630 toneladas de cascas por dia que vão parar no aterro sanitário de Gramacho, cujo tempo de vida útil está quase esgotado. Em Fortaleza, os resíduos das praias somam 40 toneladas por dia.

O maior resíduo da agroindústria brasileira, no entanto, é o bagaço da cana de açúcar. Estima-se que a cada ano sobrem de 5 a 12 milhões de toneladas deste material, que correspondem aproximadamente a 30% da cana moída (pesquisa FAPESP, 1998).

Diante deste cenário, e com a preocupação ambiental em mente, em 2010, surgiu a BIO & GREEN para o desenvolvimento, em escala industrial, com tecnologia totalmente nacional, de embalagens biodegradáveis do tipo espuma feitas de resíduos industriais e de centros urbanos, todos de fonte renováveis – bagaço da cana de açúcar, fibras de coco, sisal, curauá, juta e cascas de café e arroz – para substituir as embalagens convencionais existentes no mercado (como o isopor, por exemplo).

Em 2011, a empresa foi incubada no Centro de Inovação, Empreendedorismo e Tecnologia – CIETEC, instalado no campus do IPEN, como empresa não residente. A equipe da BIO & GREEN tem profissionais da área técnica com patentes nacionais, todas em embalagens biodegradáveis, e profissionais da área administrativa com grande experiência nas suas especialidades.

A empresa contou com o apoio do CNPq (programa RHAE Pesquisador na Empresa) e da FAPESP (PIPE Fase II).

Normas e Licenças

A empresa possui produtos e processos patenteados.

  • Certificação do ITAL para a utilização das espumas para contato com alimentos.
  • Certificação de que não contaminam o solo com nenhum metal pesado (ITAL e IQ/USP).
  • Certificação da OWS (Organic Waste System). Os produtos da BIO & GREEN são biodegradáveis e livres de metais pesados, e foram certificados pelo Instituto Belga OWS para a obtenção do selo verde (EN13432).

Bio & Green
® Marca Registrada. 2017 – Todos os direitos reservados.

A atividade industrial e dos centros urbanos frequentemente gera resíduos nocivos ao meio ambiente. Lançados na natureza, eles poluem e prejudicam a vida em certos ecossistemas, além de colocar em risco a saúde humana. Poucos sabem que geram mais de um quilo de resíduo no simples ato de beber um copo com 250 ml de água de coco verde.

No verão, com o aumento do consumo, as cascas do fruto podem representar 80% do lixo coletado nas grandes cidades. No Rio de Janeiro, estimativas indicam 630 toneladas de cascas por dia que vão parar no aterro sanitário de Gramacho, cujo tempo de vida útil está quase esgotado. Em Fortaleza, os resíduos das praias somam 40 toneladas por dia.

O maior resíduo da agroindústria brasileira, no entanto, é o bagaço da cana de açúcar. Estima-se que a cada ano sobrem de 5 a 12 milhões de toneladas deste material, que correspondem aproximadamente a 30% da cana moída (pesquisa FAPESP, 1998).

Diante deste cenário, e com a preocupação ambiental em mente, em 2010, surgiu a BIO & GREEN para o desenvolvimento, em escala industrial, com tecnologia totalmente nacional, de embalagens biodegradáveis do tipo espuma feitas de resíduos industriais e de centros urbanos, todos de fonte renováveis – bagaço da cana de açúcar, fibras de coco, sisal, curauá, juta e cascas de café e arroz – para substituir as embalagens convencionais existentes no mercado (como o isopor, por exemplo).

Em 2011, a empresa foi incubada no Centro de Inovação, Empreendedorismo e Tecnologia – CIETEC, instalado no campus do IPEN, como empresa não residente. A equipe da BIO&GREEN tem profissionais da área técnica com patentes nacionais, todas em embalagens biodegradáveis, e profissionais da área administrativa com grande experiência nas suas especialidades.

A empresa ainda conta com o apoio do CNPq – programa RHAE Pesquisador na Empresa (Edital MCT/CNPq Nº 75/2010).